As relações de trabalho mudaram muito no início do século passado as ocupações agrícolas dominavam, veio a revolução industrial que abocanhou grande parte da mão de obra disponível, o sistema bancário também teve seu momento.

A automação e a revolução da internet trouxe além de um novo modo de vida uma diferença significativa nas relações de trabalho, as ocupações ligadas a serviços é a que mais oferece oportunidades, principalmente nos centros urbanos. Nesta altura do texto você se pergunta e o que tem isto com o titulo deste texto: Você é inteligente emocional?

Tem absolutamente tudo, visto que o serviço não acontece sem gente e a base do serviço é o relacionamento e o principal ingrediente do relacionamento, o que dá aquele tempero especial é a inteligência emocional, nossos cinco sentidos estão o tempo todo “ligados” e funcionam como radar, captando e analisando dados, nem sempre estes passam pelo consciente, mas sabemos muito bem quando um pessoa está irritada, desatenta ou até com tendência a atitudes agressivas.

Não se engane esta percepção pode ser facilmente notada pessoalmente, mas no mundo digital por meio das mensagens e imagens que postamos, demonstramos muito mais do que o óbvio. O empreendedor Eric Schiffer, lista os 5 hábitos que pessoas com controle sobre suas emoções utilizam para ter sucesso tanto no trabalho como em sua vida pessoal:

1 – Seguir ações em vez de palavras: Essas pessoas seguem prazos? Prospectam negócios? Fecham acordos? O que elas estão fazendo em vez de falando? Nos assuntos pessoais e no mundo dos negócios, falar é fácil. Agir é o mais difícil.

2 – Tenha controle de si: Todas as pessoas possuem sentimentos e, às vezes, coisas pequenas tomam forma de bolas de neve e se tornam coisas grandes, sem nenhuma necessidade. Pessoas emocionalmente inteligentes sabem quando estão prontas para entrar em colapso e percebem antes de explodirem. Todos têm dias ruins, todos têm seus problemas. Não leve um incidente ou um dia ruim como uma verdade universal – siga em frente.

3 – Foque em seus objetivos: Para ser bem sucedido na vida e nos negócios, ter a visão focada no objetivo maior é fundamental. “Quando você tem o objetivo maior como sua prioridade máxima, é mais fácil de negociar com um cliente difícil, criar parcerias lucrativas para ambos e focar suas energias no que é mais importante, em vez de se preocupar com pequenas perturbações”. Foque na colaboração e na convivência.

4 – Limpe-se das impurezas emocionais: Negócios e relacionamentos bem sucedidos se alimentam de boas energias, pessoas negativas podem destruir uma empresa. “Se alguém consome suas energias ou faz você se sentir mal com você mesmo, junte forças e siga em frente”.

5 – Mantenha contato: Um relacionamento não durará a vida inteira, isto não significa que as duas partes precisam se tornar inimigas. “Quando a ponte ainda está disponível, mais oportunidades para melhorar suas experiências irão aparecer”, mantenha convivências saudáveis.

Consultora, Diretora do INFOCC,

Personal e Professional Coaching

Muito se tem escrito e falado sobre FOCO, em um intervalo de uma em um bate papo informal uma das pessoas do grupo estava discorrendo sobre sua dificuldade de definir um FOCO e ir em frente, então ela finalmente conseguiu decidir que o seu FOCO era descobrir um FOCO. Sorrimos, depois fiquei e refletindo sobre o ocorrido e resolvi escrever sobre o tema.

Como tenho a convicção que tudo começa em mim e que a interpretação do fato transforma-se em realidade para a mim, partindo desta premissa fiz uma autoanálise, qual é o meu FOCO na vida? Muito além da profissão, da carreira, da vida familiar do lazer, enfim, qual o meu FOCO quando se trata de mim?

A resposta veio rápida e clara, meu foco é ser feliz fazendo tudo o que vou fazer da melhor forma possível, estando inteira aqui e agora, sem julgamento, fazendo hoje melhor do que fiz ontem o meu FOCO é o aperfeiçoamento constante.

Com esta resposta em mãos avalie a ultima semana com esta pergunta em mente, Será que mantive o FOCO? Fiquei feliz com a resposta, Sim, Como consegui? Seguindo as etapas:

  • Usar o poder do agora;
  • Atenção aos detalhes;
  • Máxima concentração eliminando os pontos de distração;
  • E finalmente, mas não menos importante, dividir a grande tarefa em pequenas partes e comemorar a execução de cada uma delas;

Montei este diagrama para exemplificar o resultado que sinto em mim agindo desta maneira:

Tenham uma ótima semana, olhem para dentro de si, a fórmula mágica que funciona para todos não existe, seja um você melhor que você ontem que o restante flui.

Teresinha Daninger Isobe

Consultora, Diretora do INFOCC,

Personal e Professional Coaching

Atualmente pessoas de várias gerações convivem no mercado de trabalho, a forma de encarar a atividade profissional de geração em geração vai sendo alterada, por exemplo, na geração dos meus pais era uma tendência a pessoa querer trabalhar no serviço público por causa da estabilidade ou trabalhar em uma ótima empresa e lá se aposentar.

Hoje em dia ainda existem pessoas que pensam assim, mas muitos profissionais pensam exatamente ao contrário, pensam na sua carreira e não imaginam passar 30, 40 anos em uma mesma empresa.

Sabemos que muitas pessoas não pensam nem de um jeito nem de outro, simplesmente querem um emprego, fazem o mínimo possível, são estudantes assíduos dos benefícios e vantagens que a legislação permite, a ideia de muitos é usar o máximo de recursos a seu favor, para assim trabalhar pouco e ganhar o máximo com o mínimo de esforço.

Mas, quero conversar com você, que não está em nenhum dos casos acima, você que tem um sonho e o seu foco é realizar-se por meio do trabalho, para isto você estuda, planeja, vai atrás de oportunidades. Reflito a questão do título Emprego ou Carreira? Respondo para você:

Empreso Sim: Quando este vai de encontro aos seus valores e fornece ambiente saudável para o desenvolvimento de todos, neste tipo de empresa vale a pena ficar, mesmo porque os anos passam e o seu trabalho não será o mesmo, você percebe que está crescendo junto com a Empresa e o tipo de gestão é voltado para o desenvolvimento pessoal do colaborador e da equipe.

Carreira Sim: É importante sempre ter foco no seu desenvolvimento pessoal, uma carreira não é para a vida toda, hoje em dia vemos muitos profissionais bem sucedidos que ao se aposentarem iniciam uma nova carreira profissional, muitos até voltam para os bancos escolares e desenvolvem uma segunda ou terceira carreira de forma tão brilhante como desenvolveu a primeira.

E o sonho, sim também: Nunca abra mão dos seus sonhos e objetivos, é importante mantermos a nossa individualidade, não se somente “o João da Empresa x”, seja o João da Silva que trabalha na empresa x, mantenha os amigos e os relacionamentos profissionais e pessoais saudáveis, não é possível ser um ser humano de segunda e ter uma carreira de primeira.

Enfim ame o que você faz e faça tudo que tiver de fazer ser uma grande experiência, aprenda com os erros e acertos e tenha sede de aprender. Deixo para reflexão esta recente e verdadeira história:

Teresinha Daninger Isobe

Consultora, Diretora do INFOCC,

Personal e Professional Coaching

Ultimamente em vários momentos estive presente em discussões profissionais em torno da ética, até que ponto a empresa consegue treinar os profissionais e conseguir que os padrões éticos estabelecidos sejam seguidos harmoniosamente por todos.

Basicamente sou uma pessoa de fé, acredito no ser humano e na sua capacidade de se reinventar, ao longo de mais de 30 anos de profissão, trabalhando principalmente com prestação de serviços, tenho tido várias surpresas agradáveis e outras nem tanto.

O principal aprendizado que tiro da observação prática é que a forma com que me sinto não altera em nada a atitude as outra pessoa, e eu somente sou responsável pelas minhas atitudes, e mais quando temos que orientar um colaborador é importante ter consciência que pedir desculpas e dizer que não fará mais, não altera a sua natureza; a pessoa com o passar dos anos não muda só porque disse que vai mudar, para alterar-se comportamentos e hábitos é preciso querer e ter perseverança  para seguir as metas de mudança, o “orai e vigiai” é um ótimo conselho.

Desta forma aprendi a observar cenários e sinais que facilitam o melhor entendimento de certas atitudes e principalmente entender que a pessoa é assim, o que aconteceu não vai mudar, mas a interpretação que eu faço do fato depende só de mim como as decisões e atitudes subsequentes.

E como podemos usar esta reflexão no dia a dia:

  • Sou responsável pelo meus pensamentos, sentimentos e palavras;
  • Nem tudo o que acontece é por causa de mim;
  • A responsabilidade ética começa em mim;
  • Posso liderar pelo exemplo;
  • Posso ser firme e dócil.

Vamos lembrar do monge que foi tentar salvar o escorpião que estava se afogando e foi picado, quando foi tentar ajudar outra vez um pessoa que estava olhando disse o escorpião vai picá-lo novamente, então o monge pegou uma folha e salvou o escorpião e respondeu a natureza do escorpião é picar, isto não muda a minha que é ajudar.

Abraço a todos

Boa Semana

Teresinha Daninger Isobe

Consultora, Diretora do INFOCC,

Personal e Professional Coaching

Seguindo a linha de raciocínio que as nossas decisões estão muito baseadas em nossas crenças ou em pensamento e comportamento pré-estabelecidos, tendo isto em mente pensei na quantidade enorme de pessoas que a gente tem contato e que estão infelizes no trabalho ou infelizes por não ter um “trabalho” então trago a reflexão, o que você ama fazer, qual habilidade que você tem que quando a exerce recebe muitos elogios? Por que não planejar a sua carreira em torno de suas habilidades naturais?

Qual o sentido de sua existência? O que você está construindo neste planeta, você vai se despedir desta existência como uma pessoa melhor, mais completa que utilizou seus talentos para o seu bem e para o bem dos que a cercam? Pense nisto, separei um texto que pode explicar um pouco esta relação mal resolvida que muitas pessoas tem com o trabalho.

Abraço e ótima semana.

TERESINHA DANINGER ISOBE

Consultora, Diretora do INFOCC,

Personal e Professional Coaching

5 mentiras que te contam sobre trabalho

A palavra trabalho é visto hoje pela grande maioria da sociedade como um peso que deve ser enfrentado por todos. Uma forma de ganhar dinheiro. É necessário não por ser um ato de realização, mas sim devido a razão que dentro de uma economia com base no capital, quem não possui uma fonte de renda não pode manter suas mínimas necessidades. O termo foi tão distorcido nos dias atuais que muitas vezes quem diz: “Eu amo meu trabalho” é visto como louco ou que tem um “trabalho fácil”, do tipo que todos gostariam de ter. Levanto nesse artigo algumas mentiras que de tanto repetidas muitos já enxergam como verdade e entendem que o trabalho é um peso que deverá ser carregado ao longo da vida (ou até se ganhar uma fortuna na loteria).

1.  Trabalho é sacrifício: Quando se faz a correlação de trabalho com sacrifício, pensa-se em algo dolorido que exige muito de quem o faz e que não enxerga um valor, é vítima do trabalho realizado. Sacrifício é exatamente o oposto, se dividirmos a palavra sacrifício temos: Sacer (sagrado) e Facere (fazer), portanto sacrifício é fazer algo sagrado. A associação de trabalho a sacrifício tem que ser vista não como fazer algo pesaroso, desagradável e sim como fazer algo sagrado, algo que se de muito valor e importância.

2.  Trabalho é para ganhar dinheiro e se aposentar: É de necessidade humana provir seu sustento e o de sua família, mas pensar que escolher um trabalho apenas com este foco é desperdiçar uma vida. O trabalho deve vir como uma busca de realização pessoal, uma atividade em que se possa por em prática as principais habilidades pessoais e desse modo contribuir para o próprio crescimento e o crescimento dos demais. Passar 30/35 anos da vida exercendo uma profissão durante 8 horas diárias (ou mais), em que não se pode utilizar os potenciais apenas focado em ganhar dinheiro é um desperdício do que cada individuo pode fazer.

3.  Depois que você escolher uma profissão não dá para mudar: Muitos vivem insatisfeitos no trabalho/profissão que exercem, mas não mudam pelo medo de começar do “zero” de não dar certo e continuam até o dia que a saúde grita e pede para que a pessoa pare. Durante uma vida vamos exercer varias profissões, seja de forma mais direta ou indireta. Um operador de máquinas em uma indústria, quando chega do trabalho exerce vira professor para o filho pequeno; a professora de geografia vira “vendedora” entre as amigas quando indica uma loja de roupas ou perfumes; o gerente de banco faz o papel do psicólogo no happy hour com o amigo que acabou de terminar um relacionamento; a coordenadora de recursos humanos da empresa vira agente de viagens quando os funcionários que vão entrar em férias lhe pedem sugestões para viajar. E desse modo todos compartilham suas experiências com os demais, e se aquilo pelo que as pessoas te procuram for a chave para uma nova profissão? Ali está uma paixão, algo pelo qual te motiva em aprender mais e ajudar os outros? Lembre-se cada recomeço nunca é do “zero”, existem muitas vivencias acumuladas ao longo dos anos à espera de serem utilizadas.

4.  Escolha um trabalho que esteja em alta no mercado: A demanda do mercado não pode ser esquecida ou deixada de lado, mas as necessidades das pessoas são ilimitadas. Será que aquela solução que você criou para a própria vida não pode ajudar os outros? É mais fácil mudar todas suas habilidades para atender uma demanda do mercado ou encontrar um nicho que precise de suas habilidades? Cada um pode contribuir com algo novo para as pessoas.

5.  Existem pessoas que têm trabalho fácil: Pensar que todos que gostam de trabalhar é devido ao trabalho deles serem “fácil” de fazer é um engano mental. Fácil ou difícil é uma medida que depende de cada um e está relacionada com a habilidade que aquela pessoa tem para fazer aquilo. O que pode ser fácil para um pode ser extremamente difícil para outro. Tenha em mente que começar uma carreira e obter sucesso nela exige esforço, se hoje pode parecer fácil para aquela pessoa, saiba que ela se esforçou e continua se esforçando a cada dia para encontrar um nicho para usar suas habilidades, se especializando, e trabalhando focada para obter bons resultados.

Mude seus pensamentos e mude sua realidade. Não caia na armadilha do negativismo enxergue o lado bom das coisas e elas se tornaram boas, seja agora para o aprendizado e posterior crescimento.

Carlos de Paula ( É autor do E-book: Coaching como ferramenta de transformação, como transformar sonhos em metas realizáveis. À venda pela Amazon. Neste livro o autor ilustra como construir metas desafiadoras e a importância delas na conquista dos projetos de vida.www.ouroborostreinamentos.com (publicado em 22 de agosto de 2013)

Tem um diatado que diz  “ano novo, vida nova”, transformar este ditado em fatos depende de cada um, porém quando pensamos na nossa carreira profissional notamos que não temos sustentabilidade no mercado de trabalho, se “fecharmos” as portas dos relacionamentos e das empresas em que atuamos.

Selecionei este texto que exemplifica bem como atitudes diárias e muitas vezes consideradas de pouca importância, como por exemplo ser gentil com as pessoas e construir relacionamentos saudável, pode impactar negativamente no nosso futuro profissional.

Boa leitura e ótima semana.

Teresinha Daninger Isobe

Consultoria e Coaching

Três erros fatais em seu networking

Conhecer essas falhas e evitá-las é um fator de sucesso, principalmente no longo prazo

Sílvio Celestino, Administradores.com, 9 de fevereiro de 2014 , às 15h30

Muitos profissionais percebem que seu networking é inútil, quando precisam dele. Trabalham muito, dedicam-se à empresa, mas, na hora em que perdem o emprego, não conseguem recolocação por meio de seus contatos.

Isso ocorre porque, conscientemente ou não, cometem erros fatais para seu networking. Não há rede de relacionamento que resista a ações infelizes de seus participantes. Portanto, conhecer essas falhas e evitá-las é um fator de sucesso, principalmente no longo prazo. Afinal, qualquer um pode ser bem-sucedido por um ano ou dois, mas a carreira deverá durar décadas e, portanto, o foco deve ser no equilíbrio do sucesso de curta e longa duração.

Ser desconhecido

Por vezes, recebo mensagens de profissionais que pedem para ser indicados para uma oportunidade de emprego. Quando alguém lhe pede a sugestão de um médico, quem você indica? Provavelmente algum que você mesmo utiliza ou que seja conhecido por pessoas nas quais confia.

Um erro fatal muito comum é o indivíduo querer ser recomendado por alguém que não o conhece. Além de não ser indicado, sua imagem fica destruída, pois é evidente que é conhecido por poucos ou que aqueles que o conhecem não desejam ajudá-lo.

Fazer networking somente quando está desempregado

Quando um colega de longa data lhe chama repentinamente para almoçar, pode esperar duas coisas: ele vai pedir um emprego, e você é quem vai pagar a conta. Essa é uma das atitudes mais destrutivas que alguém pode ter: lembrar-se dos amigos somente nas horas de dificuldade. Na vida pessoal, isso já é visto com muitas reservas, mas, na profissional, é um motivo de fracasso no longo prazo. Pessoas não são instrumentos para seu sucesso, que você liga ou desliga somente quando precisa.

Amadureça e aprenda a conviver com indivíduos de seu setor ou considere mudar de carreira.

Pedir ajuda a quem você prejudicou

Muitos profissionais tratam bem somente seus chefes. Não contribuem com seus subordinados, pares e outros departamentos. São indiferentes aos clientes e aos concorrentes. Para piorar, tratam mal os fornecedores da empresa. De repente, ficam sem emprego e querem receber ajuda dessas pessoas.

Um de meus critérios de escolha das empresas das quais compro produtos e serviços é saber como elas tratam seus fornecedores. Na minha “lista negra”, recentemente ingressou uma famosa churrascaria em São Paulo, pois descobri que, além de pagar mal seus fornecedores, trata-os com desprezo. O mesmo ocorreu, há tempos, com uma rede de supermercados. Se a ética nos negócios é cada vez mais um fator de escolha do consumidor, imagine para sua profissão. Se você trabalha para uma empresa que trata mal seus fornecedores, funcionários e a comunidade, procure outro local para trabalhar, pois sua carreira fica em risco no longo prazo. Afinal, você será um agente dessas ações antiéticas e avaliado não como alguém que cumpre ordens, mas que faz essas ações.

Tenho observado pessoas que, ainda aos 30 anos, fazem atos que comprometem sua reputação. O resultado é que ainda têm, pelo menos, mais 30 anos no mercado, e seguramente passarão por muitas dificuldades na vida, pois ninguém desejará trabalhar com elas no futuro.

Como mencionei, o importante é que você seja bem-sucedido no longo prazo em sua profissão. Seja persistente, amadureça e cuide de sua rede de relacionamentos. Quanto mais comprometidos estivermos em agregar valor uns aos outros, para contribuir com propósitos elevados, mais próspero tornaremos o mundo.

Portanto, tenha cautela com seu desejo de ser bem-sucedido a qualquer preço. O sucesso requer preparo e cuidados de longo prazo.

Vamos em frente!

Sílvio Celestinoautor do livro Conversa de Elevador – Uma Fórmula de Sucesso para sua Carreira, Sílvio Celestino é sócio-fundador da Alliance Coaching.

Gente li o texto sobre as 20 maneiras inteligentes de fazer as pessoas gostarem de você do Pablo de Paula e adorei, achei muito pertinente para nós que trabalhamos com gente voltado para a qualidade de vida e bem-estar. Coloco resumidamente aqui abaixo os 20 itens, sugiro que você clique no linque e leia matéria inteira.

Ótima semana.

abraço

Teresinha Isobe

1 - Quebre o gelo

2 - Trabalhe suas habilidades de comunicação

3 - Saiba o quê e para quem falar

4 - Seja simples

5 - Busque ter iniciativa

6 - Saiba ouvir

7 - Sorria mais

8 - Busque dar importância para as pessoas

9 –Busque ajudar as pessoas

10 - Seja verdadeiro

11 - Não seja orgulhoso

12 - Seja uma pessoa de palavra

13 –Valorize as ponderações alheias

14 - Evite constranger a outra

15 - Incentive as pessoas a acreditarem em seus sonhos

16 - Nunca julgue

17 - Aprenda a perder

18 - Seja irreverente

19 - Tenha a capacidade de influenciar as pessoas

20 - Surpreenda as pessoas.

Fonte: Site Administradores http://www.administradores.com.br/artigos/cotidiano/20-maneiras-inteligentes-de-fazer-as-pessoas-gostarem-de-voce/73483/

Caro profissional, principalmente para quem é autônomo e exerce a função de personal, dá sim para se preparar desde já para o ano que se aproxima, várias oportunidades surgiram por causa dos eventos esportivos, porém para usufruir das oportunidades é importante que você se prepare.

Você dá aula em academia? Em parques? Na casa do cliente? Siga estes passos …

1. Mercado: Analise o seu mercado, qual os segmentos que apresentam maior potencial;

2. Qualifique: Defina que tipo de cliente você quer prospectar;

3. Estude: Avalie o padrão, quais as principais necessidades e como você vai solucioná-las;

4. Estratégia: De acordo com o perfil de cada cliente, estabeleça o tempo e os esforços que serão despendidos para captá-lo e fazer um atendimento encantador;

5. Roteirize a apresentação: revise todos os aspectos serviços que oferece, as novidades, benefícios, tempo para atingir as metas, enfim todos os detalhes;

6. Site / Rede Social: A primeira atitude que o seu prospect vai fazer após conhecê-lo é visitar o seu site. Por isso é fundamental que ele esteja atualizado e o incentive a entrar em contato com você.

7. Referencias: É fundamental ter indicadores do resultado do seu trabalho, depoimento de clientes satisfeitos é um diferencial que conta pontos;

8. Aperfeiçoe o seu marketing pessoal: Se você encontrasse um cliente em potencial no elevador e tivesse 30 segundos para vender a sua aula, o que  você diria? A dica é detectar o problema do potencial cliente (a “dor”) e   ressaltar como pode resolver.

9. Serviço de entrada: A melhor forma de conquistar a confiança do cliente é iniciar o trabalho, mesmo que de forma simples. Por isso é importante ter sempre um serviço de entrada que permita estabelecer esse relacionamento.

10. Tenha uma apresentação básica: Muitos não se preocupam com um detalhe que pode parecer óbvio, por isso tenha sempre uma apresentação resumida dos seus serviços. Sempre esteja em posse de seu cartão.

Fonte: http://www.administradores.com.br

Gente a querida amiga Priscila me cobrou sobre não ter escrito um texto para homenagear o dia do profissional de Educação Física.

De fato tenho o hábito de todo ano escrever algo sobre a nossa profissão, este ano estou mais filosófica e resolvi escrever sobre a pessoa que está por traz da profissão, ou seja sobre o ser humano que optou por esta profissão tão querida.

Devido a característica do trabalho de consultoria, tenho contato com muitos profissionais que relatam suas experiência, ansiedades, decepções, vitórias, enfim situações que todos nós passamos, por outro lado quando realizo a direção pedagógica dos cursos além destes aspectos a questão emocional e comportamental envolvida no exercício profissional fica muito exposto.

O meu olhar tem sistematicamente focado na forma como nos relacionamentos com os medos e desafios diários e mais ainda com a disciplina de fazer o que deve ser feito de forma ética e responsável.

Tenho sentido muita falta de coerência e compromisso com a ética, sei que não é um fato isolado de nossa área, mas se trabalhamos com o corpo, educamos para o movimento pregamos que estamos cuidando da saúde e bem estar de nosso aluno então estes comportamentos devem ser banidos:

- difamar;

- prometer e não cumprir;

- usurpar;

Fico triste em notar que muitos colegas na nossa frente são só elogios e quando não estão na nossa presença agem pelo avesso.

Fico feliz em ter contato com pessoas que estão despertas e sabem que estamos aqui de passagem e que usam a profissão como meio de melhorarem a sua essência humana, com respeito e amor.

Muito mais que profissionais de Educação Física somos seres em processo de evolução, que após um período neste planeta só vamos levar na bagagem o que sentimos e pensamos. Pense nisto!

Feliz Vida.

Beijos amorosos

Teresinha Isobe

Gente esta semana estava lendo uma matéria do Fábio Bandeira e a ultima frase que fecha o texto diz “o futuro que  esperamos tem que ser construído. E isso não demanda apenas trabalho, mas também uma nova consciência.”

Já escrevi sobre este assunto quando perguntei o que você estará fazendo daqui a 10 anos, ele foi mais longe e perguntou daqui a 30 anos. Já sabemos que a projeção do futuro muda o presente.

Quando temos foco, sabemos o que queremos e planejamos em quanto tempo queremos chegar lá, definimos o nosso futuro.

Se você se inscreveu em um curso que vai demorar 18 meses para ser concluído, ou seja no futuro, e este futuro é a realização se seus sonhos, então durante o caminho você se submete a 12, as vezes 16 horas de atividades diárias intensas divididos entre os compromissos profissionais, pessoais e se sente feliz, porque sabe que vai valer a pena realizar aquele sonho.

Por outro lado não existe mágica para dar um “up” na carreira, o resultado de nossa vida é o acumulo de várias decisões que nos trouxeram onde estamos e com certeza decisões iguais vão nos manter onde estamos, só poderemos melhorar, “chegar lá” se fizermos algo diferente.

Pense nisto, deixo abaixo o linque da matéria que me inspirou.

Abraço.

Teresinha Daninger Isobe

Diretora Pedagógica INFOCC

http://www.administradores.com.br/artigos/administracao-e-negocios/como-sera-nossa-vida-daqui-a-30-anos/72203/#